Paralisação Nacional em prol do PISO dos Professores

Paralisação está programada para março do ano que vem, quando Congresso deve votar Plano Nacional da Educação

Por Letícia Cruz

Professores de todo o país devem entrar em greve na primeira quinzena de março de 2012 pelo cumprimento da lei do piso nacional do magistério. A decisão foi tomada em reunião do Conselho Nacional de Entidades da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), ocorrida na última sexta-feira (16). O protesto também vai reivindicar a inclusão no Plano Nacional de Educação (PNE) de uma norma que fixe a destinação de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) ao setor.
O PNE deverá ser votado pelo Congresso até 15demarço.
A Lei 11.738, sancionada em 2008 pelo então presidente da Repúb lica, Luiz Inácio Lula da Silva, prevê que professores de nível médio que cumprem jornada semanal de 40 horas recebam, no mínimo, R$ 1.187,97 – em todo o território nacional. Porém, alguns estados ainda seguem sem cumprir a remuneração e enfrentaram greves este ano. Em Minas Gerais, onde professores da rede estadual paralisaram as aulas por mais de dois meses, o pagamento é feito por subsídio (quando o salário soma o vencimento básico e gratificações).
"Temos muita resistência dos governadores e prefeitos em aplicar esta lei. Eles agem da maneira que acham conveniente. Nossa luta é para padronizar esse cumprimento em todo o país, porque a lei é clara", afirmou ao presidente da CNTE, Roberto Leão.

Reajuste
Os educadores estão se articulando também contra a mudança no mecanismo de cálculo do reajuste anual do piso. Antes corrigido de acordo com a variação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educa ção Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) de dois anos anteriores ou pela inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), a Comissão de Finanças da Câmara decidiu na última semana manter somente o reajuste pela inflação como parâmetro. Por essa regra, o índice seria de 6,18%, equivalentes ao INPC acumulado nos últimos 12 meses aténovembro.
Segundo a CNTE, o motivo da mudança é a resistência dos estados e municípios quanto ao pagamento do piso nacional. Pelo modelo anterior de reajuste, o percentual previsto para 2012 seria de 22,23%.

VI SEMANA CULTURAL DA E. E. PROF. DANIEL GURGEL


A Escola Estadual Professor Daniel Gurgel estará iniciando nesta terça-feira 29 de novembro de 2011 a VI Semana Cultural, que vem com o tema "ESCOLA E FAMÍLIA: CONSTRUINDO A CULTURA DA PAZ", nosso evento durará quatro dias, se estendendo até o dia 02 de dezembro. A Semana Cultural da Escola Daniel Gurgel vem trabalhar o tema PAZ, pois acredita que somente escola unindo forças com a família, juntamente com toda a sociedade é que iremos de fato construir a CULTURA DA PAZ.

O QUE TEREMOS EM NOSSA SEMANA CULTURAL?

OFICINAS COM O CONSELHO TUTELAR, COM O PSICÓLOGO DIEGO E OFICINAS DE DE TEATRO, DE ARTES PLÁSTICAS;

EXIBIÇÃO DE FILMES

A IV-FECIDG (FEIRA DE CIÊNCIAS DA E.E. PROF. DANIEL GURGEL)

APRESENTAÇÕES CULTURAIS

FEIRA DO PROJETO DESPERTAR (PRAÇA SANTA TERESINHA)

A escola também estará sendo ponto de arrecadação da campanha UM NATAL MELHOR, ao visitar a escola, doe e contribua para trazer um Natal melhor para as famílias carentes de nossa cidade.

Estejam todos convidados para visitar nossa escola e participar junto com nossos alunos da nossa Semana Cultural.

#Um_Natal_Melhor


Fiquei muito lisonjeada em ter recebido o convite do Professor Cácio Santos para participar da Campanha #Um_Natal_Melhor. Estava em minha casa ouvindo o 'Programa Sob o Olhar de Cácio Santos' quando ouvi o comunicado do professor para que eu e minha amiga e colega de trabalho Maria Helena Régis participarmos, junto com todos que fazemos a E. E. Daniel Gurgel dessa belíssima iniciativa.

Bem, desde já, comunico que estamos participando sim da campanha. Todos da escola abraçaram a causa, e na próxima semana, quando se realizará a VI-Semana Cultural da E.E. Daniel Gurgel, no período de 29/11 a 02/12, a escola será mais um PONTO DE ARRECADAÇÃO DE ALIMENTOS NÃO PERECÍVEIS para a Campanha Um Natal Melhor, realizada pela FM Comunitária 87,9 de Janduís com a coordenação do Professor Cácio Santos.

Desde já, eu e todos que fazem a EEDG, parabenizamos aos que organizam a campanha, que tem como intuito beneficiar as famílias carentes de nossa cidade, e assim fazermos de fato #Um_Natal_Melhor.

Participe da VI_Semana Cultural da E.E. Daniel Gurgel, que tem como tema principal: ESCOLA E FAMÍLIA: CONSTRUINDO A CULTURA DA PAZ".

Leve seu quilo de alimento não perecível e vamos juntos construir a cultural da PAZ e praticar a SOLIDARIEDADE!

Governo não paga PCCR dos Servidores Estaduais, mas gasta R$ 10.027.946,83 com diárias


Indignação é esse o sentimento que os servidores públicos estadual apresentam com relação ao desprezo apresentado pelo governo estadual com relação ao pagamento dos 70% restante do PCCR de todos os planos de carreira.

Pesquisando no portal da transparência do governo estadual ficamos estarrecidos com o total gasto pelo governo com diárias até o dia de hoje R$ 10.027.946,83 é esse o valor. E o pior nós conseguimos a informação que as diárias nesse governo não estão sendo tributadas, elas estão sendo sonegadas.

Para ter acesso a esses dados é só você clicar no link ao lado: http://www.transparencia.rn.gov.br/despesasdet.aspx?perfil=5&nvl=1&exercicio=2011&pos=0&mes=11&fase=0

A sonegação se dá por que o governo estadual não paga as diárias através da implantação no contracheque dos servidores. O governo da Rosalba vem pagando as diárias como ordem bancaria e esse formato de pagamento das diárias leva o governo do DEM de Rosalba Ciarline a ser um governo sonegador de tributos federal.

Já pensou morar em estado sonegador de tributos federal? Governadora, isso é muito feio!

Fonte: http://janeayresouto.com.br/2012/?p=692

Plebiscito por “10% do PIB para Educação Pública, já!”



O plebiscito nacional pela aplicação imediata de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para a Educação Pública começou no domingo, 6. A coleta de votos vai até o dia 6 de dezembro. A pergunta: “Você concorda com o investimento de 10% do PIB (Produto Interno Bruto) na Educação Pública, já?” deve percorrer todos os cantos do Brasil.

O objetivo é dialogar com os trabalhadores e sensibilizá-los para a necessidade de aumentar imediatamente os recursos destinados pelos governos municipais, estaduais e federal à educação pública. Os materiais para divulgação do pleito já estão disponíveis aqui -> http://portal.andes.org.br:8080/andes/print-principais-noticias.andes?id=37 para impressão e distribuição.

As urnas serão alocadas pelos comitês estaduais da campanha “10% do PIB para a Educação Pública, já!” e também estarão disponiveis nas seções sindicais do ANDES-SN.

Anfope declara apoio
A campanha “10% do PIB para a Educação Pública, já!” ganhou mais um apoio na luta por maiores investimentos dos governos na educação pública. A Associação Nacional pela Formação de Profissionais da Educação (Anfope) declarou sua adesão ao manifesto pela aplicação imediata de 10% do PIB na educação pública.

Em e-mail enviado à coordenação executiva da campanha, a presidente da Anfope, professora Iria Brzezinski, reafirmou a participação da associação como signatária na coleta de assinaturas para a campanha “10% do PIB para a Educação, Já”.

A Anfope se junta a outras entidades do meio acadêmico que já declararam apoio assinando o manifesto da campanha como a Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped) e o Centro de Estudos Educação & Sociedade (Cedes).

Fonte: http://portal.andes.org.br:8080/andes/print-ultimas-noticias.andes?id=4977

Eleições Escolares



Boa parte das escolas estaduais do Rio Grande do Norte estão passando pelo processo de eleições diretas nas escolas. A Escola Estadual Prof. Daniel Gurgel da cidade de Janduís também está passando pelo processo de eleições diretas para diretor (a), onde concorrem ao cargo a Professora Maura Garcia (Chapa 01) e o Professor Rênio Gurgel (Chapa 02).

A campanha já começou e os candidatos mostram seus planos de gestão aos quatro segmentos que têm direito a votar, que são eles: alunos, professores, funcionário e pais de alunos. As eleições acontecerão no próximo dia 23 de novembro durante todo o horário de aulas, na sede da referida escola!

Professores do Estado do Ceará são tratados como bandidos!



Após o confronto entre professores e a polícia, deputados da Assembleia Legislativa do Ceará aprovaram o reajuste salarial dos docentes estaduais de nível médio, na tarde desta quinta-feira (29), para R$ 1.187. Apesar da equiparação salarial ao piso nacional, os professores continuam acampados no prédio da casa legislativa e planejam uma assembleia geral, às 8 horas da manhã desta sexta-feira (30), para traçar novos rumos da manifestação. Três professores estão em greve de fome.

Segundo o APEOC (Sindicato dos Professores e Servidores no Estado do Ceará), a manifestação pressiona para que o cumprimento do piso nacional ocorra também para os professores que têm graduação e pós-graduação, como especialização, mestrado e doutorado.

De acordo com o secretário geral do APEOC, Juscelino Linhares, a matéria aprovada pela maioria dos deputados achatou de 14 para 10 o número de níveis no Plano de Cargos e Carreiras da categoria. “Essa aprovação do jeito que foi votada e aprovada só vem a fortalecer nosso movimento, pois continuaremos a greve. Não vamos aceitar esse achatamento dos níveis e a falta de contemplação dos demais professores da categoria. São poucos professores que têm nível médio e a grande maioria é graduado e pós-graduado”, disse Linhares, lamentando a forma que o Batalhão de Choque tentou dissipar a manifestação dos professores ocorrida nesta manhã.

“Imploramos que a votação não ocorresse, mas apenas quatro deputados foram solidários com a causa e a matéria foi aprovada. Não tinha como ter sangue frio de ver a votação e não tentar invadir o plenário. Não poderíamos deixar aquilo acontecer, mas apesar da nossa manifestação pacífica, porque somos educadores acima de tudo, fomos recebidos com truculência”.
Segundo Linhares, dois professores tiveram de receber atendimento médico e um deles está internado no Instituto José Frota com suspeita de fratura no crânio. “Muitos professores foram atingidos com spray de pimenta e dois saíram muito machucados”, completou.

Fonte: UOL Educação http://migre.me/5O5QB
________________________________________________________________

Um país que não respeita o próprio professor e o trata como bandido, está fadado ao retrocesso e ao fracasso de seu sistema. É muito triste ler a matéria acima e muito difícil de não se indignar com tamanha falta de respeito e consideração para com o trabalhador/professor brasileiro.

O Governo do Ceará, assim como o Governo ROSA-DEM no RN não respeitam seus professores. Quem dirá esses deputados que aprovaram o piso que já é Lei no Brasil, porém não respeitando o nível de escolaridade dos professores. Atualmente são raros os professores no Brasil que tem Nível Médio (apenas Magistério), pois a própria LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira) exige que todo docente tenha no mínimo graduação, ou seja, que tenha NÍVEL SUPERIOR. Aí vocês me perguntam, não é contraditório, exigir graduação, pós-graduação e não PAGAR aos professores por terem se adequado às exigências da lei? Minha gente, é questão de lógica, se o professor é graduado, deve receber como tal. Por que então que a maioria dos governos dos estados e das prefeituras continuam assaltando os professores do Brasil?

Enquanto formos tratados com desrespeito, humilhação, e sem valorização profissional, a Educação do Brasil vai continuar sendo de baixa qualidade e tão pobre de caráter e de vergonha quanto os Deputados, Prefeitos, Governadores, Senadores Juízes e Promotores desse Brasil que finge que valoriza a educação.

Cansada de Política de faz de conta



Como professora de Geografia, sempre estou abordando as mais diversas questões ligadas à esse componente curricular.

Estava trabalhando em uma sala do ensino fundamental o assunto "Norte desenvolvido e Sul subdesenvolvido", conteúdo do livro de Geografia para ensino fundamental do autor J. William Vesentini. No contexto da aula fazia-se necessário mostrar as diferenças entre o DESENVOLVIMENTO e o SUBDESENVOLVIMENTO entre os dois hemisférios geoeconômicos do planeta, e assim explicar aos meus alunos porque existem no mundo países tão ricos e países tão pobre. Trabalhar com indicadores econômicos e sociais é extremamente imprescindível quando se trata de discutir tal questão: PIB, renda per capita, distribuição de renda, nível de escolaridade, IDH, mortalidade infantil, expectativa de vida, são alguns dos índices analisados. E depois de analisar e compreender o conteúdos, é triste olhar para os rostos dos meus alunos e claramente perceber a decepção que esses sentem ao entenderem que o país em que nasceram poderia estar bem melhor quanto a esses índices.

Se nossas políticas públicas fossem cumpridas e a corrupção - que é o câncer da política brasileira - não trabalhasse a favor dos mais ricos, nossos indicadores sócios-econômicos mostrariam em números uma realidade bem diferente da que vivemos hoje. Não trabalho com falta de esperança, muito pelo contrário, mostro que eles podem começar a mudar isso de agora, dando importância a sua educação, pois começa no próprio indivíduo a mudança necessária à transformação do Brasil em um estado desenvolvido, próspero e com menos desigualdade social.

Nós professores temos por excelência o hábito de mostrar para nossos alunos que ESTUDAR é o caminho mais importante frente às tamanhas desigualdades sociais. Pois um ser humano consciente de seu papel social, não se deixará enganar por falsas promessas e nem muito menos votar por dinheiro, deixando assim que a corja suja do poder público permaneça apodrecendo nosso país.

E pegando carona no lema do governo: BRASIL, país rico, é país sem pobreza... SEM CORRUPÇÃO, SEM DESRESPEITO AO POVO E COM VERGONHA NA CARA!

#QueremosBR110



Os jovens de Campo Grande, Janduís, Upanema e Messias Targino estão começando uma mobilização em prol da pavimentação do trecho BR 110 que liga Campo Grande a Upanema e esta a Mossoró, são pouco menos de 80km que separam toda uma parte da Região Médio Oeste do Rio Grande do Norte à Mossoró - cidade polo do Oeste Potiguar. Com a pavimentação desse trecho da BR 110 as populações das cidades citadas e demais cidades do RN e de outros estados teriam um acesso mais rápido à Mossoró. Os benefícios são inúmeros, a começar pelo encurtamento da distância que separa muitas famílias de um melhor acesso à SAÚDE, EDUCAÇÃO e menores preços em passagens e transporte de mercadorias, favorecendo o desenvolvimento econômico de nossa região.

Breve postarei os encaminhamentos que deverão ser seguidos depois das discussões que estão começando aqui na internet (blogs, redes sociais) e em reuniões realizadas nas cidades. Desde já convido os Jovens das cidades de Janduís, Campo Grande, Messias Targino e Upanema para se engajarem nesse movimento social. E que nossos políticos independentes de partidos e/ou interesses que abracem também essa causa.

Postem sobre o assunto e usem a Hastag #QueremosBR110

Como dar aula para quem não quer?



Essa é uma pergunta que nós educadores fazemos todos os dias.

Não sabemos se por falta de incentivo familiar, ou por falta de estímulo do próprio processo educativo, mas dar aula para quem não quer é um dos grandes problemas da educação da atualidade. Não generalizando, mas nossas escolas estão cheias de alunos e alunas que vão aos bancos escolares ou porque a família obriga, (pois a presença é o ponto chave para que os mesmos continuem incluídos nos programas sociais do governo como o BOLSA ESCOLA/FAMÍLIA) ou por puro desinteresse de alguns alunos. E a mudança desse fato cabe mais uma vez ao PROFESSOR, visto na sociedade como agente transformador do comportamento humano, uma vez que este é o "ÚNICO RESPONSÁVEL POR EDUCAR", esse é um dos grandes erros cometidos pela maioria das pessoas. Não é responsabilidade única e exclusiva do PROFESSOR ou da ESCOLA educar crianças, jovens e adultos, a Escola, bem como o Professor são parceiros essenciais no processo de ensino-aprendizagem, que visa que o sujeito ao processo educativo aprenda os conteúdos ministrados em salas de aulas, mas que também estes saibam aplicá-los em seu cotidiano, se tornando um agente participativo e transformador da sociedade.

Como ministrar conteúdos, planejar aulas atrativas se o próprio indivíduo não tem ao menos interesse em receber aquilo que se está discutindo? O pior de tudo é quando esses alunos atrapalham as aulas com ações de Bullying, com desrespeito aos professores e também demais funcionários, muitas vezes as agressões são fortes e humilhantes. Esses indivíduos tumultuam nossas escolas e fazem com quem o processo de ensino-aprendizagem seja prejudicado, atrapalhando assim a aprendizagem dos alunos que querem receber a educação proposta em sala de aula.

Julgar os professores de ruins, incompetentes ou irresponsáveis é muito fácil para quem não sabe ou não presencia o processo educacional de perto. As famílias estão cada vez mais ausentes das escolas e mais distantes da educação de seus filhos. Mal eles sabem que estão cometendo um erro irreparável para o futuro de seu filho ou filha. Educação se começa em casa, criança mal criada que agride os pais, vai ser mal educado na rua e na escola, e vai querer agredir e desrespeitar professores e colegas na escola.

Enquanto essas postura moral não mudar dentro das famílias brasileiras, o processo educacional no Brasil não vai conseguir funcionar em sua plenitude. Os professores não podem fazem milagres, nem ensinar a força, obrigando a quem não quer aprender que esse aprenda alguma coisa importante para o seu futuro. Esse é só um dos grandes problemas da Educação no Brasil.

Essa política pública que foi implantada no governo Lula e continua no governo Dilma, e que tem como intuito erradicar a pobreza, deveria elaborar melhores estratégias para fazer da família um agente mais participativo na educação dos seus filhos.

A EDUCAÇÃO É A PRINCIPAL FERRAMENTA PARA MELHORAR O FUTURO DA HUMANIDADE, NÃO A DESCARTE, EDUQUE SEUS FILHOS E OS INCENTIVE A ESTAR NA ESCOLA PELA APRENDIZAGEM E NÃO APENAS PARA CUMPRIR UMA EXIGÊNCIA DO GOVERNO PARA RECEBER BENEFÍCIOS SOCIAIS.

"A educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tam pouco a sociedade muda." Paulo Freire

O pão que Rosalba amassou

Quando ainda estávamos em greve, o Ministério Público Estadual e o Federal enviaram para as escolas estaduais do Rio Grande do Norte a recomendação de que ninguém, além dos alunos, poderia comer a merenda servida na escola. O aviso foi reiterado após a volta às aulas, e representantes das DIREDs foram convocad@s para uma advertência oficial: diretores de escola onde o “delito” fosse cometido poderiam sofrer processo administrativo e criminal.

O assunto virou manchete nos principais jornais do estado e, em todas as matérias, há sempre um representante do Poder Executivo ou do Judiciário para nos atacar, chegando inclusive a nos acusar de roubo de merenda. Diante da “polêmica” e da super exposição, o sentimento nas escolas tem sido de constrangimento e indignação.

De fato, professores (as) e funcionári@s se alimentarem com a merenda faz parte da rotina da escola. E antes de nos tratarem como “infratores”, é preciso ver que essa realidade apoia-se na dimensão concreta de nossas vidas, e só existe pelas restrições a que estamos submetid@s.

Qualquer pessoa que viva além de gabinetes, apoiado na realidade, e não apenas em peças judiciais burocráticas, percebe imediatamente porque @s professores comem na escola. Como falei na Assembleia Legislativa no dia 10 de maio, nós precisamos trabalhar dois ou três horários para garantir o próprio sustento e o de nossas famílias.

Ora, se @ professor (a) passa o dia correndo de uma escola para outra, em transportes extremamente precários, pressupõe-se que ele (a) não dispõe de tempo para ir em casa fazer uma refeição entre um turno e outro. A verdade é que, em muitos casos, a refeição não é feita nem em casa, nem na rua. Afinal, quem é @ professor (a) que nunca “flagrou” um (a) colega “almoçando” um pastel ou uma coxinha dentro de um ônibus, a caminho de uma das escolas em que trabalha?

Diante dessa consideração, há quem possa perguntar: “então porque não levam comida de casa?” e a resposta é de natureza prática: é inviável e até desumano submeter profissionais que já andam carregados de livros, diários e trabalhos a serem corrigidos ou devolvidos, a carregarem mais duas ou três refeições dentro da bolsa por obediência a uma lei elaborada por pessoas que nem precisam levar marmita na bolsa, nem andar de ônibus. É absurdo exigir dest@s heróis e heroínas que, após toda a jornada de trabalho na rua, ainda consigam administrar o tempo em casa entre planejar, corrigir, elaborar provas, dar atenção aos filhos, cozinhar e ainda ter que preparar a marmita do dia seguinte.

Também é importante dizer que, mesmo com essa jornada, muit@s trabalhadores (as) em educação ainda não alcançam a proeza de garantir o sustento de suas famílias com o salário que recebem, razão que determina outra característica da nossa categoria: o endividamento.

Essa realidade, aliás, vivida não só por professores (as), mas pela maioria d@s trabalhadores (as) brasileir@s comprova o fato de que nenhum trabalhador(a) tem condições de gastar com comida na rua o dia todo, todos os dias, e ainda garantir que haja comida em casa para o restante da família. Diriam ainda os bajuladores cruéis: “tanta gente que vive com um salário mínimo...”. A resposta a essa piada de mau gosto eu prefiro dar não com palavras, mas com um minuto de silêncio em respeito aos trabalhadores que sobrevivem no Brasil com um salário mínimo.

Falsa polêmica

A recomendação do Ministério Público, na prática, humilha e ridiculariza @s profissionais da educação. Independentemente da intenção do Judiciário, tem sido um prato cheio para os governantes. Assim, eles miram os trabalhadores, tentando nos colocar no banco dos réus, tentando dividir a comunidade escolar, jogar uns contra os outros, quando, na verdade, no interior das escolas, não existe polêmica alguma no que se refere à distribuição da merenda. Ela sempre foi distribuída a tod@s os segmentos, e isso nunca impediu ou limitou o acesso d@s alun@s à refeição, tanto que eles(as) mesm@s são @s primeir@s a discordar da recomendação.

Com a “polêmica” aberta pelo Ministério Público temas realmente importantes são deixados de lado, envoltos em fumaça. O piso nacional dos professores, por exemplo. Enquanto se discute o tal “cuscuz alegado”, que cheguei a lembrar naquela audiência, deixa-se de lado a responsabilidade sobre os salários, condições de trabalho, investimentos, o debate sobre o PNE... É o que desejam governantes que não priorizam a educação, como Rosalba ou Micarla.

Naturalmente, o Ministério Público de cada estado poderia mandar cumprir imediatamente a Lei do Piso Nacional que, mesmo sancionada na esfera federal, vem sendo sistematicamente descumprida pela maioria dos estados e municípios. Aliás, foi exigindo o cumprimento dessa lei, que muitas greves foram feitas em todo o Brasil. Greves que, por sinal, foram julgadas abusivas pelo próprio Poder Judiciário.

Se o Ministério Público não se ocupasse com questões que, definitivamente, não interferem na qualidade da educação, teria tempo para se dedicar a outros temas. Por exemplo, o sem número de turmas que ficam meses e até chegam a concluir um ano letivo sem professores (as) de determinadas disciplinas. Porque o Ministério Público não exige d@s governantes que garantam professores para todas as turmas, evitando o prejuízo aos alun@s?

Também teria tempo para ordenar a restituição e o confisco das mansões e dos carros de luxo de tod@s aqueles (as) que desviam dinheiro da merenda para comprar uísque e ração de cachorro, como em Alagoas. Teria tempo para se preocupar com desvios da educação, da saúde, inclusive da deputada corrupta Jacqueline Roriz, absolvida por seus pares. Teria tempo para garantir que a desnutrição, e todas as doenças dela decorrentes, fossem apenas uma lembrança.

Suspeito que o Judiciário esteja muito distante da realidade da população. Basta ver os ministros do STF, que acabaram de enviar pedido de reajustes que levariam o salário de cada um para R$ 32 mil. Imaginem os restaurantes que eles frequentam...

Ao insistir em discutir se @ professor (a) ou @ funcionári@ estão comendo a merenda, o Judiciário escolhe o lado errado. Sua recomendação é impossível de ser cumprida, pois choca-se com uma realidade de salários de R$ 930, tripla jornada de trabalho, quilômetros percorridos a pé ou em transportes precários, e, por isso mesmo, tem tudo para ser ignorada, e virar letra morta. Entre o que está escrito no papel e a vida real, prevalece sempre a vida real. @s miseráveis a quem a Constituição assegura o direito a alimentação, atendimento médico, moradia e segurança que o digam!

Respeito e dignidade

Dentro desse debate muitas questões tem sido levantadas, mas a principal vem sendo ignorada. O Ministério Público alega estar fazendo o seu papel, garantindo que o que está escrito no Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE seja cumprido. Em primeiro lugar, é necessário que façamos, mais uma vez, uma reflexão sobre a elaboração das nossas leis, programas, etc. e vejamos a que interesses eles atendem. Depois, é fundamental que tenhamos a consciência de que essas leis não são imutáveis, nem foram escritas por inspiração Divina, não admitindo questionamentos.

Não temos que empenhar esforços na busca por “atenuantes” para o nosso “delito”. Dizer que comemos restos, sobras, etc. só faz com que as sobras da nossa dignidade sejam jogadas de uma vez por todas na lata do lixo. A verdade sobre essa “polêmica” é uma só: se o PNAE apresenta uma visão distorcida, que considera que a escola é formada apenas pelos alunos, e não por alunos, professores (as) e funcionári@s, o erro está nele, e não em quem constrói o cotidianos das escolas.

A polêmica do cuscuz alegado é de natureza política e deve ser tratada como tal. Então, é necessário que @s deputad@s que, até agora, estão inertes diante de tamanho absurdo se posicionem, se manifestem. Se a lei está errada, cabe a eles consertá-la.

É justamente por ter a certeza de que não somos nós que estamos errad@s, que digo aos meus colegas que não se envergonhem nem se constranjam diante das acusações e ameaças. Mantenham a indignação e preparem-se para a luta. Não por um prato de comida, mas por dignidade, salário decente e condições de trabalho que abrangem, inclusive, o acesso a refeições na escola e, aliás, com qualidade bem superior à que temos hoje.

Às autoridades, peço que parem de difundir esse discurso demagógico de preocupação com a nutrição dos nossos alunos e a informação falaciosa de que a merenda servida aos trabalhadores (as) interfere na merenda servida a eles (as). Não pensem que conseguirão colocar os pais e noss@s alun@s contra nós, mesmo porque, em casa de pobre, o lema é: “onde come um, comem dois”. A vida aqui embaixo fala mais alto.

Fonte: Blog da Amanda http://professoraamandagurgel.blogspot.com/2011/09/o-pao-que-rosalba-amassou.html?spref=fb

MATEMÁTICA DE MENDIGO



Achei o texto desse e-mail muito interessante e resolvi postar para vocês meus leitores, não quero com ele incentivar ninguém a se tornar mendigo, ou mesmo desestimular e negar a importância do trabalho e principalmente da educação que nos faz chegar até ele, mas quero com ele mostrar o quanto é humilhantes o salário que nós profissionais da educação brasileira ganhamos nesse país de políticos corruptos e carrascos, leiam abaixo o e-mail enviado pelo amigo sindicalista Gabriel (Umarizal/RN)

MATEMÁTICA DE MENDIGO

Tenho que dar os parabéns ao estagiário que elaborou essa pesquisa, pois o resultado que ele conseguiu obter é a mais pura realidade..
Preste atenção...

Um sinal de trânsito muda de estado em média a cada 30 segundos (trinta segundos no vermelho e trinta no verde). Então, a cada minuto um mendigo tem 30 segundos para pedir a 5 motoristas e receber pelo menos de dois deles R$ 0,20 e faturar em media pelo menos R$ 0,40 o que numa hora dará: 60 x 0,40 = R$24,00.
Se ele trabalhar 8 horas por dia, 25 dias por mês, num mês terá faturado: 25 x 8 x R$ 24,00 = R$ 4.800,00.

Será que isso é uma conta maluca?

Bom, 24 reais por hora é uma conta bastante razoável para quem está no sinal, uma vez que, quem doa nunca dá somente 20 centavos e sim 30, 50 e às vezes até 1 Real.
Mas, tudo bem, se ele faturar a metade: R$ 12,00 por hora terá R$ 2.400,00 no final do mês.
Ainda assim, quando ele consegue uma moeda de R$1,00 (o que não é raro), ele pode até descansar tranqüilo debaixo de uma árvore por mais 9 viradas do sinal de trânsito, sem nenhum chefe para lhe censurar por causa disto.
Mas considerando que é apenas teoria, vamos ao mundo real.
De posse destes dados fui entrevistar uma mulher que pede esmolas, e que sempre vejo trocar seus rendimentos numa conceituada padaria. Então lhe perguntei quanto ela faturava por dia. Imaginem o que ela respondeu?
É isso mesmo, de 120 a 150 reais em média o que dá (25 dias por mês) x 120 = 3.000 e ela disse que não mendiga 8 horas por dia.
Moral da História :
É melhor ser mendigo do que estagiário (e muito menos PROFESSOR), e pelo visto, ser estagiário e professor, é pior que ser Mendigo... Pelo menos em Fortaleza...
Se esforce como mendigo e ganhe mais do que um estagiário ou um professor.
Estude a vida toda e peça esmolas; é mais fácil e melhor que arrumar emprego.
E lembre-se :
Mendigo não paga 1/3 do que ganha pra sustentar um bando de políticos vagabundos.
Viva a Matemática.

Rafael Nunes

E agora? Governo não deve atender aos servidores em setembro



A Secretaria de Planejamento chegou à conclusão: não vai ter como atender às reivindicações dos servidores no mês que vem. Isso acontecerá porque a arrecadação não cresceu do jeito que o Estado esperava e, portanto, o Governo não conseguiu sair dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Havia a promessa de que a partir do mês que vem os Planos de Cargos, Carreiras e Salários aprovados pela Assembleia Legislativa no ano passado pudessem ser colocados em vigor. Mas isso não aconteceu e pelo jeito não acontecerá após o aviso que será dado em toda a imprensa neste final de semana pelo secretário de Planejamento, Obery Rodrigues Júnior. Ele vai anunciar que o Estado não sairá da LRF em 2011 e que, portanto, as dificuldades enfrentadas até aqui não serão sanadas no nono mês do ano.

Pelo jeito, vem mais desgaste por aí.

Fonte: blog Gilberto Dias

Ideologia, quem quer uma pra viver?



Hoje venho tratar de um assunto em que sempre tive vontade de falar, mas esperei o momento apropriado, afinal, é interessante discorrer sobre determinadas questões quando nossos olhos veem uma manifestação da mesma.

Vocês já ouviram falar em IDEOLOGIA PARTIDÁRIA?

Ideologia é definida em dicionários como a ciência que trata da formação de ideias. E partido equivale à associação de pessoas que seguem a mesma doutrina política. Portanto ideologia partidária deve ser um conjunto de ideais compartilhadas pelas pessoas que seguem o mesmo partido.

Vimos em Janduís a pouco tempo atrás um "Teatro de Vampiros", onde os atores de um mesmo partido político de "esquerda" fizeram um alvoroço na Prefeitura Municipal de Janduís. Onde colocaram a Prefeitura Municipal como palco desse teatro e também taça/prêmio. Numa disputa sem escrúpulos, onde todo tipo de ataque pode ser visto e encenado frente a população que estava na plateia e que por vezes foi também atacada por alguns desses. Boicotes, motins, herois e vilões foram vistos nesse drama.

Pessoas manifestaram seu descontentamento com a situação, chegou-se a fazer campanhas em redes sociais, das quais fiz menção e participei, pois naquele momento percebia uma revolta comum entre nossos ideais. Admiro e respeito aqueles que levaram suas palavras e fizemos daquele momento um grito uníssono de uma verdadeira ideologia, independente de partidos políticos.

Segundo estudiosos a famosa Ideologia Partidária é algo utópico, pois os interesses pessoais e de governabilidade falam mais alto, fazendo com que as ideias se percam no caminho. O que questiono aqui é: O que aconteceu nos tenebrosos 25 dias e seu desenrolar? Foi apenas teatro? Ou realmente ideias divergem dentro desse partido e uma das partes foi derrubada? E os amigos de revolta comum, são condizentes com a atual ideia do partido? Afinal esse partido é formado por politizados que realmente seguem determinada ideia? Ou é composto em sua maioria por um exército de manobra que segue a ideologia de um e não do todo?

Até hoje nunca me filiei a partido político nenhum e continuo com essa ideia, afinal seguir uma "ideologia partidária de alguns" é algo surreal para mim que acredito realmente em minhas ideias. Fica aqui só mais uma revolta: ATÉ QUANDO O POVO DE JANDUÍS VAI ESTAR NA PLATEIA VENDO ESSE DRAMALHÃO DE QUINTA FEITO PELOS MESMOS ATORES E SUAS MÁSCARAS JÁ TÃO DECAÍDAS PERANTE A SOCIEDADE?

JÁ DIZIA CAZUZA "IDEOLOGIA, EU QUERO UMA PRA VIVER", MAS É SEMPRE BOM SABER QUAL IDEOLOGIA VOCÊ QUER! Eu tenho os meus #ideiaisproprios

Texto do Deputado Mineiro sobre a greve da educação

Na última quarta-feira,20, depois de 83 dias de paralisação, chegou ao fim uma das mais longas greves na rede de educação pública do Rio Grande do Norte.

Participante das mobilizações dos(as) educadores(as) em nosso estado nos últimos 26 anos – tendo feito parte da direção da antiga APRN (Associação do Professores do Rio Grande do Norte) entre 1985 e 1988 – conheço suficientemente a trajetória da categoria – porque fruto e partícipe dela – para afirmar que nunca antes na história das lutas educacionais deste estado um governo tratou os(as) trabalhadores(as) da educação como o faz o governo Rosalba, do DEM.

Os representantes do Rosa.Gov.Dem – da Chefe do Executivo à Secretária de Educação – atuaram em uníssono seguindo script e impondo estilo com um objetivo previamente definido: enfraquecer e derrotar o movimento sindical dos educadores como forma de evitar futuras mobilizações.

Os motivos da greve podem ser resumidos, basicamente, em três itens: 1 – cumprimento do Planos de Cargos e Salários do Pessoal do Magistério, 2 – retomada do processo revisional da tabela salarial do referido Plano e 3 – cumprimento do Plano de Cargos dos Servidores do Estado, que define os vencimentos dos servidores do chamado quadro geral, inclusos aí os servidores dos níveis elementar, médio e superior da educação.

Como se vê, e por incrível que pareça, a greve ocorreu porque o governo não cumpriu o que está consignado em lei.

O atual Plano de Cargos e Salários do Pessoal do Magistério é a Lei Complementar nº 322/2006, publicada em 12/01/2006, e sucedânea de legislações anteriores, criadas ainda em meados dos anos 80 do século passado. Nada a ver, portanto, com “planos aprovados em 2010, às vésperas das eleições”.

A lei do Plano de Cargos define, entre outras questões, a tabela dos vencimentos dos educadores ao longo de sua carreira. Esta tabela começa com a definição do vencimento inicial do profissional com formação de magistério (ensino médio), o piso salarial, e vai até à do profissional com formação superior, com aumentos percentuais, em efeito cascata, de acordo com a qualificação e o tempo de serviço, amarrando a carreira em níveis diferentes e articulados entre si. Pela tabela em vigor, um professor licenciado, por exemplo, tem o seu vencimento inicial (sem considerar o tempo de serviço), calculado em 40% a mais do que o vencimento inicial do professor com formação de nível médio.

A tabela dos vencimentos dos profissionais da educação do RN deveria ter sido atualizada desde janeiro de 2011. Isto porque o valor do Piso Salarial do Magistério, definido pela Lei Federal nº 11738/2008, foi reajustado desde esta data. Modificado o valor do vencimento inicial da carreira, altera-se o valor dos demais níveis da tabela.

Assim, por exemplo, o vencimento inicial do profissional de nível médio (início de carreira), com jornada de 30 horas semanais, que era de R 768,00 (664 mais abono) no ano passado, deveria ter sido reajustado para R$890,62, em janeiro deste ano por força da Lei do Piso. E o vencimento inicial do profissional licenciado, para R$1.246,00, por ser 40% a mais. A mesma metodologia de reajuste deveria ter sido aplicada para os demais níveis salariais, de acordo com a titulação e o tempo de serviço.

A posição do Governo Rosalba, do DEM, foi a de implantar o Piso, somente a partir de junho, apenas para quem tinha vencimento inicial menor do que R$ 890,62 (menos de 2 mil educadores) e rasgar o Plano de Cargos da categoria para os cerca de 25 mil demais professores, jogando para dezembro o cumprimento da lei.

Em relação à revisão geral da tabela salarial, o Governo não apresentou qualquer proposta concreta assim como adiou para setembro em diante o cumprimento das parcelas garantidas pelo Plano de Cargos dos servidores dos níveis elementar, médio e superior do chamado quadro geral (Lei Complementar nº 432, de 1º de julho de 2010)

É falso atribuir totalmente às atuais limitações financeiras impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal a atitude de descumprir os Planos de Cargos dos educadores e dos demais servidores. Se desejasse de fato cumpri-los em sua integridade, o Governo teria apresentado um calendário para a repactuação dos prazos.

Ao definir unilateralmente que cumprirá os Planos em dezembro deste ano (iniciando em setembro, sem retroativos), o Governo Rosalba criou uma situação inusitada que desafia até mesmo a sapiência jurídica de seus principais auxiliares: a suspensão dos efeitos das leis nos meses de janeiro a novembro.

Para conseguir seu intento e derrotar os(as) educadores(as) o Governo do Dem lançou mão de mecanismos nunca antes utilizados com tamanha eficácia. Entre tantos atos de pressão, recorreu ao Judiciário e editou medidas administrativas coercitivas com o objetivo de ameaçar e punir.

Nunca antes – nem mesmo nos tempos do Governo Geraldo Melo, que enfrentou uma paralisação semelhante logo no início da gestão (1987) porque rasgou o Estatuto do Magistério aprovado em 1986 – o judiciário havia decretado ilegalidade de uma greve, além de determinar pesada multa diária ao sindicato . Não contente, para enfrentar a resistência e coragem da categoria que não se curvou, o Governo pediu o aumento da multa em dez vezes, numa clara demonstração de que o objetivo é o enfraquecimento da organização da categoria.

Nunca antes um governo criou uma Comissão Permanente de Sindicância no âmbito da Secretaria de Educação, como foi feito através do Decreto nº 22.298, publicado no Diário Oficial, em um sábado, dia 16/07/2011, dando o primeiro passo para a abertura de processos disciplinares contra os(as) servidores(as).

Nunca antes os gestores da educação se mostraram tão submissos aos discursos do núcleo econômico do governo. Desde os tempos do saudoso Prof. Hélio Vasconcelos (no primeiro governo Agripino) até a gestão do Prof. Otávio, raros foram os embates na educação em que os gestores da pasta não se somaram e dialogaram em paralelo com a categoria nestes momentos difíceis, construindo e disputando soluções que iam de encontro às desejadas por outros setores do próprio governo, ressalvadas as hierarquias e interesses do executivo como um todo.

Nunca antes foram tão inócuas as tentativas de intermediações feitas pela Assembléia Legislativa ou por parlamentares federais como foram os casos das iniciativas da Dep. Fátima Bezerra e mesmo de aliados do governo, como o Senador Paulo Davim.

Nunca antes a indiferença, a insensibilidade e o autoritarismo prevaleceram tão intactos, orientados por uma lógica que inviabiliza qualquer pactuação possível com vista à superação dos tristes indicadores educacionais do Rio Grande do Norte.

Como dantes, a vítima é a parcela da sociedade que precisa e depende de educação pública de qualidade, condição basilar para que se dê passos concretos rumo à superação das concentrações de conhecimento, de renda e de poder tão presentes em nosso país e em nosso estado.

Mineiro – Professor licenciado e deputado Estadual PT/RN

Fonte: Blog do Mineiro http://mineiro13666.com.br/blog/?p=199

Terminou a greve da rede estadual da educação

Em assembleia realizada nesta quarta-feira, os trabalhadores em educação da rede estadual de ensino, decidiram acabar a greve que já durava aproximadamente 80 dias. A categoria não aceitou a proposta apresentada pelo governo, mas seguiu a orientação da direção do sindicato que decidiu preservar os professores ameaçados com o corte dos salários. Segundo a coordenadora do Sinte-RN Fátima Cardoso, a audiência que antecedeu a assembleia foi uma das piores da história das negociações do Sindicato.

O diretor do Sinte-RN, Assis Filho, relatou que os representantes do Governo chegaram a barrar a entrada da deputada Fátima Bezerra, do deputado Fernando Mineiro e da assessoria jurídica do Sindicato, na audiência. “Foi uma atitude desrespeitosa que mostrou a verdadeira face desse governo”, protestou Assis.

Na audiência, o Governo manteve a proposta já apresentada e as ameaças judiciais contra os professores grevistas e contra o Sindicato. “A multa diária contra o Sindicato pode subir para R$100 mil, R$ 500 mil ou até um milhão”, ameaçou o Procurador do Estado. A assessoria jurídica do Sindicato concluiu que a discussão saiu do campo jurídico para a retaliação política.

“Os advogados me alertaram de que eu posso ser presa a qualquer momento por desobediência à Justiça. Mas esta não é minha preocupação. Minha preocupação é incentivar a continuidade da greve e provocar o corte dos salários de professores que sequer tem outra fonte de renda. É preciso ter responsabilidade com essa categoria que confia na gente.”, esclareceu Fátima ao defender o fim da greve.

Fonte: Sinte/RN

BOMBARDEIO

Rosalba promove um dos maiores ataques da história, contra a luta educação pública do RN

Os trabalhadores em educação estão sendo vítimas de um verdadeiro bombardeio. A artilharia pesada não vem só do Governo Rosalba ou do Tribunal de Justiça. Agora, 16 promotores públicos também abrem fogo contra os Profissionais da Educação e recomendam a demissão de todos os não voltarem ao trabalho no prazo de 30 dias.
Os Promotores de Justiça orientam também que a secretária de educação Betânia Ramalho determine o desconto, em folha de pagamento, das faltas injustificadas dos profissionais que se recusarem ao retorno imediato das atividades.

Como se isso fosse pouco, no último sábado (16) a Governadora baixou decreto abrindo comissão de inquérito com o objetivo de retaliar os servidores da educação que se mantém firmes na luta. Tudo isso para promover a desigualdade entre os profissionais no que concerne a tabela salarial das categorias.

O governo também pediu ao TJ o aumento da multa diária pela manutenção da greve para 100 mil reais, o que praticamente levaria o Sinte-RN à falência. A coordenadora do Sinte-RN professora Fátima Cardoso, avalia as ações do poder como um cerco conservador contra a luta da educação. “Estamos sendo atacados por todos os lados, e mesmo assim resistindo com cerca de 90% de paralisação”, explica Fátima

Para ela, o momento pede uma análise realista da situação. “Vamos avaliar na assembleia de logo mais à tarde os caminhos a seguir e o Sindicato irá até o fim a partir da decisão tomada. Contudo, quero adiantar que não vamos expor essa brava categoria a danos ainda maiores na sua vida profissional, como demissão e perda dos seus já vergonhosos salários. Muito menos, vamos permitir que a força reacionária do Governo leve o Sinte-RN à falência. Até por que é isso que eles querem: destruir de vez toda a luta em defesa da educação no Rio Grande do Norte.
“Com todas as letras: essa é uma avaliação que deve ser feita em assembleia, a diretoria e a categoria unidas analisando se é o momento de voltar as atividades ou não. Mas tudo isso com o critério da responsabilidade e da serenidade que sempre caracterizou as ações deste sindicato. Independente da decisão a ser tomada, já podemos dizer que o Rio Grande do Norte é governado hoje pela maior inimiga da educação desde os amargos tempos do nada saudoso governador Geraldo Melo”, declara Fátima Cardoso.

FONTE: SINTE/RN

Professores do Daniel Gurgel voltam da greve nesta segunda-feira 25

Os Professores da E. E. Daniel Gurgel (Rênio, Katiúscia, Dalvani, Reneilson e Santelma) decidiram em Assembleia voltar da greve dos professores da educação do RN. A decisão foi tomada em conjunto e por unanimidade pelos professores presentes na referida Assembleia.

No entanto, reiteramos a enorme insatisfação que nós professores da E. E. Daniel Gurgel sentimos diante da atual situação que Educação do RN vem sendo colocada pela senhora governadora Rosalba Ciarlini e seus secretários, tratando os professores como verdadeiros "cachorros vira-latas", pois além de não dá o devido valor que nós merecemos, ainda humilha com ações e palavras toda a classe. Também gostaríamos de deixar claro que continuamos achando a greve justa e damos a ela todos o nosso apoio que agora é moral e que só decidimos voltar da greve devido a decisão do TJ de decretar como ilegal a greve, mas que também repudiamos a atitude unânime dos juízes do TJ que com certeza não ganham R$ 930,00 para fazer o trabalho sujo pro governo de Rosalba.

"A educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tam pouco a sociedade muda." (Paulo Freire)

Trabalhadores em Educação manterão a greve



14/07/11

A assembleia dos trabalhadores em Educação do Estado, realizada na manhã desta quinta-feira (14) decidiu, por unanimidade, a manutenção da greve. Durante os debates nenhuma das falas dos trabalhadores presentes se mostrou contrária à defesa da direção do Sindicato pela continuidade e fortalecimento do movimento.
A assessoria jurídica do Sindicato entrará com uma ação contra a liminar que determina o início das aulas. Outras decisões ainda estão sendo tomadas pela categoria, que permanece em assembleia.

Direção do Sinte fala sobre manutenção da Greve

Com o término da assembleia dos Trabalhadores em Educação do estado na manhã desta quinta-feira (14), a direção do Sinte fez algumas considerações em relação à decisão da categoria. Segundo a coordenadora geral do Sindicato, Fátima Cardoso, a decisão de manter a greve, apesar da determinação do TJRN, não representa uma afronta à justiça. Para ela, o entendimento dos trabalhadores é de que a contraproposta apresentada pela diretoria ao governo ainda pode ser negociada, por isso os trabalhadores optaram por se manterem mobilizados.

Na contraproposta que o Sinte apresentou ao governo, os valores a serem pagos aos professores seriam divididos da seguinte forma: 34% este ano, 21,76% no mês de janeiro de 2012 e de lá até junho para a integralização da tabela, que foi proposta na revisão do Plano de Carreira do magistério.

Caso a proposta feita pelo Sindicato ao Governo não seja atendida, os professores terão perdas cada vez mais significativas, até mesmo em relação a outras categorias do funcionalismo publico que já entraram em acordo com o Estado.
Para ilustrar essas perdas, Fátima Cardoso explica que, no mês de dezembro, categorias das Administrações Direta e Indireta terão um ganho 100% maior que o magistério. Como exemplo, ela cita um servidor com nível superior em início de carreira. Esse trabalhador começaria a carreira com um salário de R$2.550. Enquanto isso, um professor com nível superior iniciaria sua carreira com um salário de R$1.264.

O Sindicato está aberto a negociações. “Queremos resolver essa questão sem queda de braço, mas de forma que os professores não sejam ainda mais prejudicados. Estamos dispostos a negociar, até mesmo para chegar ao valor de R$2.142, para o início de carreira. O que já é uma cifra inferior a das demais categorias trabalhistas do serviço público estadual.”, afirmou a coordenadora.

Deliberações da assembleia

Além da manutenção da greve, os trabalhadores definiram a realização de uma reunião do Comando de Greve nesta sexta-feira (15). O encontro será às 14h30 na sede do Sinte. Também será feita uma visita AA Escola Almirante Tamandaré, em Extremoz, para averiguar a denúncia de substituição de profissionais no local; mobilização nas escolas, veiculação de notas na TV e a realização de uma nova assembleia na próxima segunda-feira (4), às 14h30 na Escola Winston Churchill.

Fonte Sinte/RN

TJ vota a favor do Estado e contra os professores!



Acompanhando o Twitter vi a notícia que os professores do movimento paredista já esperavam, TJ vota a favor do Governo do RN e decreta a ilegalidade da greve dos professores da Educação, decretando retorno imediato dos professores às salas de aulas.

O TJ julga a favor do Governo, o Governo paga o mísero salário à nós professores que temos que nos virar com essa esmola, enquanto isso, tanto os nossos governantes quanto os juízes do Tribunal de Justiça desfilam com seus carros de luxo, moram em seus apartamento em bairros nobres da grande Natal e vivem muito bem obrigada como toda a burguesia capitalista desse país corrupto que não valoriza de fato quem pinga suor para fazer o Estado andar para frente.

O que sei é que R$930,00 não paga sequer o condomínio da maioria desses que fazem parte do Governo da Rosa Murcha de Mossoró, nem tão pouco paga o salário dos empregados domésticos dos Juízes desse Brasil, mas nós Professores temos que fazer das tripas coração, fígado e até bofe, para botar um prato de comida na mesa e pagar as contas de casa.

"Brasil mostra a sua cara, quero ver quem paga pra ficar assim!" - Cazuza

QUEM PAGA O SALÁRIO DELES SOMOS NÓS, MAS NÃO MERECEMOS SEQUER UM SALÁRIO DIGNO, FATO!

Direção do Sinte discute reivindicações com o Governo

12/07/11

No final da tarde dessa segunda-feira (11) a direção do Sinte advertiu o governo do Estado novamente sobre a negociação com o magistério. A intervenção do Sindicato foi para reivindicar a tabela salarial, requisitada desde o início da campanha salarial da categoria. O Sindicato discutiu a questão com a secretária de Educação do Estado Betânia Ramalho e o secretário da Casa Civil Paulo de Tarso.
A direção do Sinte informou que, uma vez negociado o pagamento do Plano de Carreira dos funcionários o passo seguinte é atender aos professores. Os dirigentes ressaltaram a proposta deliberada em assembleia sobre a tabela salarial: implantação dos 34% nos meses de julho, agosto e setembro deste ano. Além disso, ser implementado em janeiro de 2012 mais 21,76% e o restante dos 100% da tabela até junho.

A direção ainda informou que, mesmo a justiça determinando medidas repressivas a categoria manterá a greve. “Não abriremos mão da continuidade desta negociação com as devidas conquistas para os Professores.”, diz a coordenadora geral do Sinte, Fátima Cardoso. A diretora jurídica do Sinte, Vera Messias afirmou: “estamos vencendo meia batalha. Mas a greve só acaba quando tivermos resolvido as questões relativas aos professores.”, advertiu. Também estiveram presentes no encontro, os dirigentes José Teixeira e Canindé Silva.

fonte: Sinte/RN

Civilização X Barbárie

Lendo o blog do Exmo. Sr. Prefeito de Janduís Dr. Salomão Gurgel me deparei com a seguinte postagem: COMO FAZER UMA DISCUSSÃO CIVILIZADA EM JANDUÍS? Que vocês podem ler aqui http://www.blogdosalomaogurgel.blogspot.com/

E me vem a cabeça a pergunta: Será que o senhor Prefeito mais uma vez está subestimando a capacidade intelectual de discussão "daqueles que hoje querem discutir coisas boas para a sociedade em que estão inseridos (Janduís)" e será que mais uma vez ele crê que não passa de um "ensaio" dos mesmos. Pois na leitura do post do Sr. Prefeito ele diz "Quero conversar com quem posso aprender e, do diálogo, fazermos conclusões que contribuam para o desenvolvimento sustentável da qualidade de vida do povo de Janduis"

Sr. Prefeito nas minhas leituras seja de que texto for, aprendi a interpretar as palavras e o contextos em que as mesmas estão inseridas, bem como não distorcê-las, como assim o Sr. diz em seu texto. Creio que o seu texto não se refere somente a mim, mas como tenho um ótimo poder de interpretação e fazendo parte das discussões anteriores me coloco no direito de responder. Se o Senhor tem dúvidas de que os jovens que hoje tecem discussões com você e sua administração através de ferramentas digitais - e pode ter certeza que posso aqui falar por alguns amigos - temos SIM competência para entrar em discussão com qualquer pessoa que seja a respeito de assuntos como DEMOCRACIA, POLÍTICA, SOCIEDADE, EDUCAÇÃO, DITADURA e etc. pois ao contrário do que o senhor vem mostrando pensar, somos pessoas instruídas e fora da linha de ignorância que o senhor tenta mostrar em sua postagem. Tenho convicção de que os jovens que você se refere têm total discernimento para manter um diálogo CIVILIZADO e que dele pode sair SUGESTÕES bem melhores para a sociedade janduiense do que as que vem sendo realizadas por sua administração ultimamente. E esses jovens além de civilizados não fazem discussões para balizar ódios e paixões, são jovens que querem sim o bem estar da sua sociedade, diferentemente do que vem ocorrendo com muitas pessoas que fazem parte de seu governo, e realmente pessoas que fazem isso (que não são esses jovens) não fazem História, apenas a tornam mais FEIA como está sendo a história de Janduís agora, ou seja, a história da vida das pessoas que aqui vivem.

Quando estudamos Antropologia nas Universidades aprendemos o conceito em que a palavra CIVILIZAÇÃO é aplicada, principalmente na época da Colonização onde os "civilizados" europeus segregavam e exploravam os "bárbaros" (pessoas das terras em que os europeus queria explorar). Usando esse conceito de civilização versus barbárie conseguiram riquezas, poder, reinados, impérios enquanto os povos tidos como bárbaros foram sendo aniquilados e/ou empobrecidos pouco a pouco.

Fazendo uma analogia: Será que os "jovens não civilizados" daqui são de fatos bárbaros? Se são bárbaros, estarão esses revoltados com a instalação de um império explorador? Será que todos do império são de fato "civilizados"?

???????????????????????????????????????????????????????????????

ASSEMBLEIA DA REGIONAL DO SINTE EM UMARIZAL

Ontem dia 04 de julho os professores da E.E. Daniel Gurgel que estão em greve (Santelma, Katiúscia, Rênio e Claudione) participaram de uma Assembleia e de um Ato Público em Prol da Greve da Educação do RN que teve a ilustre presença da Professora Amanda Gurgel. O movimento teve como objetivo reafirmar a greve e também tratar do PNE (Plano Nacional para a Educação). Vejam as fotos!





ESCLARECENDO



Venho através desse post reafirmar que o objetivo desse blog não é atacar político A ou B e nem muito menos "puxar sardinha" para qualquer partido ou pessoa política que seja. Nem tão pouco é objetivo desse blog falar mal Família C ou D. Temos o espaço para comentários e democraticamente o espaço é aberto. Muitos fazem postagens anônimas, isso é opção de cada um. E como também é de direito, muitos dão sua resposta aos comentários em quem foram citados. Então para que o leitores se inteirem bem dos fatos, muitos dos comentário postados nem sempre se referem à POSTAGEM DO BLOG e sim a comentários ANÔNIMOS OU NÃO de leitores que fazem desse espaço, um espaço para expressar suas opiniões, sejam elas quais forem.

É um dos objetivos desse blog opinar criticamente frente aos mais variados assuntos: política, educação, cultura, sociedade e etc.

O espaço continua aberto, sejam bem vindos e voltem sempre!

Ê ÔÔU VIDA DE GADO...



...POVO MARCADO Ê, "POVO FELIZ" (Será?)

Começo minha nova postagem com a frase da música de Zé Ramalho (Admirável Gado Novo). Essa música me fazem lembrar das minhas aulas de História do Brasil quando estudávamos sobre Coronelismo e nesse assunto sempre aparecia um tópico chamado CURRAL ELEITORAL.

Curral eleitoral é uma expressão utilizada por historiadores brasileiros na República Velha que indicava uma região onde um político possuía grande influência, é bastante conhecido ou onde é muito bem votado.
A origem da expressão vem do tempo em que o voto era aberto no Brasil. Assim, os coronéis mandavam capangas para os locais de votação, com objetivo de intimidar os eleitores e ganhar votos. As regiões controladas politicamente pelos coronéis eram conhecidas como currais eleitorais. Nesses locais o coronel oferecia ao eleitor trabalho, dinheiro, moradia, para votar em seu candidato.


Vejo ainda hoje muita gente se prestando a esse papel, gente que troca seu voto por empregos de cargos comissionados e que não tem nenhuma qualificação para estar a frente de tais cargos públicos. Gente que por temor ou por pura bajulação e conveniência, desrespeitam as pessoas e a sociedade. E quando aparecem pessoas que têm um olhar crítico frente a assuntos como política, cultura e sociedade no geral e que expressam seus pontos de vista, elas acabam incomodando tais capachos e seus capatazes, pois as mesma não têm vendas nos olhos e sabem enxergar o mundo a sua volta.

Só digo uma coisa, quem nasceu para ser Gado Marcado à Ferro que coloque "seus coros" para queimar, porque nesse CURRAL ELEITORAL CORONELISTA de Janduís existem muitas novilhas desgarradas e espertas, existe um ADMIRÁVEL GADO NOVO que sabe o que é Democracia, Política, Ditadura e sabe usar o Senso Crítico. Ê VIDA DE GADO!

Assembleia decide pela continuidade da greve

27/06/11

Em assembleia realizada na tarde de hoje(27), os trabalhadores em educação decidiram pela continuidade da greve. A ideia agora é fortalecer a união com os demais servidores em greve para intensificar e dar mais fôlego ao movimento.

A categoria aprovou proposta da direção do Sindicato de realizar um grande ato público, no dia 06 de julho, unindo todos os servidores públicos que estejam ou não em greve.

No dia anterior(05), haverá mais uma assembleia de greve, as 8h na Escola Winston Churchill. Também ficou decidido que o Sindicato deverá veicular um cartaz de mídia externa como busdoor ou outdoor, denunciando o fato de a Governadora ter dinheiro e não honrar os compromissos com a educação.

A propaganda vai reforçar a campanha que já está sendo veiculada na televisão, em rádios do interior do estado, em carros de som, no programa e no portal do Sinte-RN.

Durante a assembleia a direção do Sindicato reforçou ainda a decisão de realizar o Congresso da categoria, em cumprimento à decisão judicial. O Congresso está previsto para ter início amanhã, a partir das 14h, no Mardunas Centro de Eventos em Nísia Floresta-RN

Fonte: Sinte/RN

A fogueira está queimando...



Bem a fogueira de São João queimou ontem e a de São Pedro está por vir, mas aqui em Janduís estão querendo queimar outra fogueira, a da Inquisição. Será que vão conseguir??

Para saber mais sobre Inquisição leiam aqui http://pt.wikipedia.org/wiki/Inquisi%C3%A7%C3%A3o

O condenado pelo Tribunal da Santa Inquisição tinha as prováveis penas: O condenado era muitas vezes responsabilizado por uma "crise da fé", pestes, terremotos, doenças e miséria social, sendo entregue às autoridades do Estado, para que fosse punido. As penas variavam desde confisco de bens e perda de liberdade, até a pena de morte, muitas vezes na fogueira, método que se tornou famoso, embora existissem outras formas de aplicar a pena.


Falar o que se pensa e ter opinião própria para muitos políticos e toda a sua gama de puxa-sacos daqui é quase como ser um herege para a igreja Católica da Idade Média. Mas só lembro uma coisa: a Idade Média já passou e por mais que queiram, as únicas fogueiras que irão queimar são as juninas!

MANGA com LEITE pode ser? PODE SIM!



Qual a diferença em saber criticar com fundamentação e criticar sem saber do que trata determinado assunto ou mesmo querer distorcer fatos e opiniões?

Veja o que diz a Wikipédia (enciclopédia virtual) sobre SENSO COMUM E SENSO CRÍTICO:

O senso comum está cercado de opiniões não conclusivas, não fundamentadas e isso podemos observar facilmente ocorrer em nosso cotidiano. Segundo o Dicionário Virtual Priberam, o conceito de senso comum é a “faculdade que a generalidade dos homens possui de raciocinar com acerto”, e o senso crítico como “faculdade de apreciar e julgar com ponderação e inteligência”.

Por essas concepções, já podemos observar que existe relação entre eles: enquanto no senso comum, eu raciocino com a possibilidade de acertar, no senso crítico eu sou mais analítico, ponderado e utilizo de raciocínio inteligente para chegar a uma conclusão. No senso comum, eu não preciso me submeter a uma experiência para chegar a conclusão de algo, mas sim, suposições.


Ou seja, no Senso Comum que a maioria das pessoas está praticando a quase todo momento, especula-se sobre determinado assunto, e na maioria das vezes sem fundamentação, com intuito de querer que sua opinião sem fundamento ou fomentação esteja CERTA. Já o Senso Crítico trata de opinar sobre determinado assunto de maneira fundamentada e fomentada, não se baseando em especulações (fofocas, comentários, disse-me-disse), sem tomar partido por A ou B e fazendo uma crítica inteligente.

Para a maioria das pessoas a palavra CRÍTICA já soa negativamente (já por fazerem o julgamento com senso comum), mas o que a maioria não sabe é que as pessoas que têm capacidade de criticar inteligentemente e de forma ética podem estar fazendo uma crítica construtiva, aquela em que se apontam os erros de maneira fundamentada e não baseado em especulações. E essa crítica pode ser usada como ponto de partida para perceber determinados erros e daí tentar melhorá-los. No entanto, são poucas as pessoas que têm essa capacidade de usar o seu Senso Crítico. “Pra que ir atrás de saber se é verdade? Se tem fundamento? Tá todo mundo falando que é assim mesmo!” usar o Senso Comum para a maioria é algo bem mais fácil. Ser inteligente e se esforçar para criticar ou especular algo de forma fundamentada não é pra qualquer pessoa! E geralmente as pessoas que têm essa capacidade de usar o Senso Crítico dentro de uma determinada sociedade acabam aparecendo para aqueles que só usam o seu pobre Senso Comum como sendo pessoas que querem aparecer, fazer acontecer...

Culpa dos meus pais (graças a Deus) que me ensinaram que estudar é o caminho! E esforço notório dos que não jogam fora as suas ricas inteligências com bobagens e nem buscam se ancorar a pessoas vazias, sem conteúdo, egoístas e que querem que a grande maioria continue burra e só usando o Senso Comum para avaliar o que acontece na sociedade.

Se eu sei te criticar e você não gosta... fazer o que né?! Ser inteligente e ter criticidade aguçada é algo que sua mesquinharia peculiar não irá tirar de mim nunca! Por isso que adoro vitamina de maga com leite, porque acreditar em algo colocado pela elite oligárquica brasileira no tempo da escravatura, só para os escravos não tomarem o leite que era caro na época, fica pra quem não tem poder de ir buscar fundamentação e será sempre dominado por quem diz ter poder nessa sociedade!

Assembleia decide pela continuidade da greve



21/06/11

Em assembleia realizada na manhã desta terça-feira(21) a categoria decidiu pela continuidade da greve da educação. Até o momento não houve nenhuma proposta nova às reivindicações da categoria.

A Assembleia teve acesso a um impresso do governo com uma releitura da única proposta apresentada até agora. Para a diretoria do Sinte-RN trata-se da velha proposta com nova roupagem.

A capa do panfleto anuncia um aumento de 34% salarial para os professores.
No entanto, o anuncio governamental esconde que o aumento, depois de seis meses, é zero e zero também é o aumento previsto para agosto. A atenção dada à reivindicação de reformulação do plano de carreira do magistério também é zero. Bem como, zero é nível de confiança de que em dezembro os professores receberão o que está sendo prometido agora.

Como se tudo isso não bastasse, é ainda zero a resposta dada às reivindicações dos funcionários da educação.

Essa realidade levou a categoria a decidir pela continuação e intensificação do movimento de greve.

Fonte: Sinte/RN

CNE aprova Jornada Nacional para a educação avançar

20/06/11

Por: CNTE, em 17 de junho de 2011

A CNTE iniciará no dia 6 de julho– como parte das atividades do dia nacional de luta da CUT – uma jornada nacional pela implementação do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN) associado à carreira e pela aprovação do Plano Nacional de Educação (PNE). A proposta foi aprovada em reunião do Conselho Nacional de Entidades (CNE) nesta sexta-feira em Brasília. O lançamento da Jornada Nacional com mobilizações e paralisação dos estados e municípios marca o calendário de atividades a serem desenvolvidas pela entidade no segundo semestre.

Os sindicatos deverão organizar paralisações com manifestações e atos públicos no dia 6 de julho, reforçando a atual pauta de luta da Confederação: implementar o PSPN aplicado à carreira em todos os estados e municípios brasileiros e aprovar o PNE, contemplando os interesses da classe trabalhadora e da sociedade.

Essa foi a primeira reunião do Conselho Nacional de Entidades após o STF ter julgado a Lei do Piso constitucional. Os representantes das entidades apresentaram as dificuldades enfrentadas em seus estados para garantir o cumprimento da lei, uma vez que os gestores estão protelando o pagamento do valor do piso como vencimento inicial de carreira, sob a alegação de que não saiu o acórdão do STF.
Para a CNTE o valor do piso é R$ 1597,87

O presidente das CNTE, Roberto Leão, disse que é preciso continuar a luta política pela implementação do piso e, para tanto, será deflagrada uma campanha nacional no mês de agosto com esse objetivo. Leão reforçou que a CNTE orienta as suas entidades filiadas que lutam pela implantação do PSPN, que o processo de negociação com os governos inicie com o valor defendido pela Confederação, que é de R$ 1.597,87 como vencimento inicial na carreira.

A CNTE também reivindica o cumprimento integral da lei com 1/3 da jornada destinada para a hora atividade. O valor do Piso deve ser aplicado para as jornadas de trabalho que estão instituídas nos planos de carreira de estados e municípios.

CNTE, 17/06/11)

Governo quer revogar os Planos de Carreira dos Trabalhadores

13/06/11

O secretário-chefe da Casa Civil, Paulo de Tarso, anunciou que a governadora Rosalba Ciarlini pedirá a revogação dos Planos de Carreira dos servidores da Administração Direta e da Indireta. De acordo com o secretário, o governo considera as leis dos Planos aprovados em 2010 inconstitucionais. Ele diz, ainda, que os PCCRs não tiveram previsão orçamentária para viabilizar sua execução.

Para a coordenadora geral do Sinte, Fátima Cardoso, o Governo tem deixado a população confusa com as informações distorcidas que passa. “O governo diz à população que vai dar um golpe, quando fala dessa revogação e, ao mesmo tempo, sinaliza que criará novos Planos de acordo com a saúde financeira do Estado. O silêncio do Governo durante todo esse tempo era apenas um sinal de ataque aos servidores públicos do RN.”, disse.

A dirigente reafirma, ainda, a necessidade de união da categoria e a intensificação da luta para os trabalhadores alcançarem suas reivindicações. “O Governo já disse que não cederá às nossas pressões e aproveitou para qualificar a luta dos trabalhadores como uma algazarra. É por isso que a luta continua. Até que sejamos respeitados e tivermos nossos direitos de trabalhadores garantidos nos manteremos mobilizados.”, afirmou, a dirigente.

Fonte: Sinte/RN

Enquanto o Governo gasta com festa, os servidores dançam






10/06/2011 Mossoró

Regional do Sinte realiza Ato Político e Cultural

Os trabalhadores em Educação da Regional do Sinte em Mossoró realizaram um Ato Político e Cultural da greve nessa quinta-feira (9). O evento, chamado pela categoria de Cortejo junino da greve, aconteceu na Estação das Artes e teve como tema "Enquanto o Governo gasta com festa, os servidores dançam".

O Ato teve grande participação da categoria além de servidores, professores e estudantes da UERN e servidores da base do Sinai. O movimento começou com uma concentração no Sindiserpum, às 19h30.

O coordenador geral do Sindicato, Rômulo Arnaud, avaliou a mobilização como positiva e bem participativa. "Fizemos um movimento pacífico e ordeiro, mas com muita disposição de mostrar para a sociedade a falta de compromisso do Governo Rosalba para com os servidores e o bom serviço público.", afirmou o dirigente. O cortejo foi aplaudido de pé por onde passou.

Sinte busca negociação

10/06/11

O GOVERNO RESPONDE COM SILÊNCIO

A direção do Sinte foi às secretarias de Educação, de Administração e à Casa Civil do Estado em busca de uma audiência antes da próxima assembleia da categoria. A visita foi feita nessa quinta-feira (9), mas não houve resposta por parte do Governo.

A coordenadora geral do Sinte, Fátima Cardoso, disse que isso não desanimará os trabalhadores e a sua luta. Ela destacou: “a poupança do estado se mantém a custa do arrocho salarial do servidor público. As prioridades estão invertidas. Não iremos voltar para a sala de aula, portanto, enquanto esse impasse não tiver sido resolvido.”, disse.

Além da coordenadora, as dirigentes Vicência Arimateia e Vera Messias estiveram nas secretarias à procura de respostas.

FONTE: SINTE/RN

Moção de apoio aos Trabalhadores em Educação do Rio Grande do Norte

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, entidade representativa de mais de 2,5 milhões de profissionais da educação básica pública no Brasil, à qual o SINTE - Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública do Rio Grande do Norte é afiliado, vem a público manifestar seu irrestrito APOIO à greve dos educadores no Estado, iniciada há mais de 30 dias, por entender que a luta pelo Piso Salarial Nacional do Magistério, por melhores condições de trabalho e pela qualidade social da educação pública é legítima.

Para a CNTE, somente mobilizados e organizados, os/as trabalhadores/as em educação poderão construir uma escola pública gratuita e de qualidade para todos e em todos os níveis e modalidades de ensino. A deflagração de greve é o último recurso usado na luta por melhores condições de trabalho.

Neste sentido, a Confederação espera que a senhora Governadora Rosalba Ciarlini reabra o canal negociação, reconhecendo, na prática, o direito constitucional à livre associação sindical e, consequentemente, o direito de negociar as suas condições de trabalho e perspectivas de carreira para o funcionamento permanente da educação pública.

Assim, a CNTE espera que seja encaminhada, com urgência, uma proposta concreta para as reivindicações da categoria, uma vez que a Lei do Piso Salarial Nacional do Magistério é uma conquista, não somente para os trabalhadores em educação, mas também para a sociedade brasileira, uma vez que a valorização do educador reflete na melhoria da qualidade da educação.

Brasília (DF), 7 de junho de 2011

Roberto Franklin de Leão
Presidente

fonte: Sinte/RN

Sindicato envia ofício ao Governo

08/06/11

A direção do Sinte enviou ofício ao Governo apresentando as deliberações da categoria na última assembleia e reafirmando a pauta de reivindicação. O documento foi entregue nessa segunda-feira (6) e priorizou a revisão do Plano de Carreira do magistério e o pagamento do PCCR aos demais servidores da Educação.

O Sindicato insiste em manter o diálogo com o Governo porque a proposta apresentada pelo Estado não atende satisfatoriamente aos pedidos da categoria. Para a coordenadora geral do Sinte, Fátima Cardoso, o maior problema na proposta feita pelo governo é que a correção salarial só beneficiará a todo o magistério em dezembro. Além disso, o Governo ainda não disse o que fará para pagar os valores reivindicados pelos profissionais.

Fonte: SINTE/RN

Assembleia decide por manutenção da Greve e faz outras deliberações

A assembleia realizada na última sexta-feira (3) pelos Trabalhadores em educação da rede estadual deliberou a manutenção da Greve. A Diretoria do Sinte reconhece alguns avanços na luta, mas a proposta feita pelo Governo ainda não é suficiente para o magistério e é omissa com os demais funcionários.

Além de manter a Greve, a categoria decidiu:

- Convidar outros sindicatos para realizar ações conjuntas e fortalecer o movimento;
- Retornar às escolas nesta segunda-feira (6) e organizar a levada da categoria em ônibus para o Ato que será realizado nesta terça-feira (7);
- Veicular nota na TV mobilizando a sociedade a participar do Ato desta terça-feira;
- Veicular VT sobre a greve;
- Incluir na pauta de reivindicações as licenças especiais.

Fonte: Sinte/RN

Professores rejeitam proposta do governo e decidem manter a greve

03/06/11

Os professores rejeitaram a proposta apresentada pelo Governo do Estado e, em assembleia realizada na tarde desta sexta-feira, decidiram continuar a greve da categoria, que já dura um mês.

Em reunião na tarde de ontem com representantes do Sindicatos dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte-RN), o secretário-chefe do Gabinete Civil, Paulo de Tarso Fernandes, anunciou implantação do piso nacional de R$ 890,00, a partir de junho, para jornada de 30 horas semanais, no nível médio e a incorporação do Piso Nacional ao Plano de Cargos e Remunerações, parcelada em quatro vezes, a partir de setembro.

Fonte: No Minuto

NEGOCIAÇÃO

A paralisação dos professores da rede estadual de ensino, que completa um mês, começa a dar os primeiros resultados. Em audiência realizada na tarde de ontem, no gabinete da Casa Civil, com o secretário da casa civil Paulo de Tarso e representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado (Sinte/RN), o governo anunciou a implantação do piso nacional de R$ 890,00, a partir de junho. A proposta foi considerada um avanço pela categoria, que aguarda ainda o encaminhamento de outros pontos, para decidir em assembleia hoje, os rumos da paralisação.

Reunião com o Sindicato da Administração Indireta não caminhou. Governo não apresentou proposta real sobre Plano de CargosConsiderando o julgamento pelo STJ da constitucionalidade da Lei do Piso Salarial (Lei 11.738/08), o Piso Nacional será cumprido de imediato. A partir do mês de junho, o reajuste será dado para os profissionais do magistério que recebem salário inferior a R$ 890,00 – cerca de 2 mil professores - para jornada 30 horas semanais, no nível médio. Para os demais, o reajuste será escalonado de setembro a dezembro desse ano. Para isto, será necessário editar uma nova Lei Estadual com a nova tabela salarial.

"Por reconhecimento a lei do piso nacional aplicado ao plano de carreira, tivemos a primeira proposta sólida do governo", disse por telefone a coordenadora geral do Sinte Fátima Cardoso. De acordo com o Sindicato, o salário de um professor em início de carreira, é de R$ 739,00. O "complicador" na proposta, segundo Fátima Cardoso, é o prazo dado para os professores com salários acima desse valor.

A categoria reivindica ainda a tabela salarial que traz equivalência com profissionais da administração direta e administração indireta. Além da fixação de data para pagamento da primeira parcela do PCCS de 4.164 professores, em atraso desde janeiro, e a revisão dos pontos de carreira que estão paralisado, desde o ano passado. "Com o documento em mãos é que teremos uma definição", disse a coordenadora. A assembleia geral, será às 14h30, na Escola Estadual Winston Churchill.

A secretária Betânia Ramalho ressaltou que em decorrência da aplicação do piso nacional no Plano de Carreira, ao final da implantação, o reajuste médio na rede estadual de ensino será de 34%. "Em 2007, 2008 e 2009 os professores fizeram greve e tiveram 0% de reajuste. Ano passado, resultou em 7,15%. E este ano daremos 34% de reajuste médio. Nenhum professor ganhará menos que o piso". Quanto os professores temporários e horas suplementares, a secretária disse está saldando os débitos de 2010 e regularizando, até junho, em conjunto com o pagamento da folha estadual e com o pagamento dos estagiários, o referente a 2011.

A professora Betânia Ramalho lamentou o poder que a greve tem de interromper o ano letivo e impedir o acesso do aluno, principalmente aquele carente que busca sua ascenção social através da Educação e tem esse direito assegurado em lei tolhido. "Uma condição essencial para que se concretize a qualidade do ensino é o efetivo cumprimento dos 200 dias letivos, representando 800 horas de sala de aula". A SEEC fará cumprir, de imediato, um plano de reposição de aulas.

Fonte: Tribuna do Norte
______________________________

Interessante como a Secretária Betânia Ramalho sempre tenta ressaltar em suas palavras "uma culpa" direta para os professores. Importante que todos saibam que se nós não tivéssemos entrado em greve, jamais receberíamos coisa alguma e digo mais, não gostei desse prazo de pagar o PISO aos professores de nível superior a partir de setembro, por mim a greve continua, como diz Amanda Gurgel, "minhas necessidades são imediatas"

Governo do Estado descumpre lei de investimento na Educação

01/06/11

Pela segunda vez consecutiva, o estado do RN deixa de investir no magistério o valor mínimo que a Lei prevê, ou seja, 60% do Fundeb. Além disso, os 25% provenientes de suas arrecadações, que deveriam ser utilizados na Educação, não foram aplicados ainda.

Para a coordenadora geral do Sinte,Fátima Cardoso, as atitudes que o Governo tem tomado, demonstram falta de respeito com a educação e o descumprimento claro de direitos garantidos constitucionalmente à sociedade.

“Ainda não recorremos judicialmente. Contudo essa medida não está descartada. Somos a favor do cumprimento da lei sem haver a necessidade de uso de instrumentos e ações mais fortes pelo descaso do governo.”, disse a coordenadora.

Para o diretor de comunicação do Sindicato, Ionaldo Tomaz, a categoria aguarda uma resposta urgente do Governo às suas reivindicações. “Queremos a restituição dos serviços da educação para a população. Mas queremos também ter qualidade nesses serviços. As escolas precisam ser recuperadas, precisam de laboratórios e de pessoal qualificado para oferecer aos alunos um ensino produtivo e de acordo com as demandas da atualidade.”, afirmou o dirigente.

Fonte: Sinte/RN

Direção do SINTE desmente discurso do governo do estado

01/06/2011

De acordo com site do governo do estado nos meses de janeiro e fevereiro tinha que empregar no mínimo 60% do FUNDEB na remuneração do magistério com ensino fundamental e médio, no entanto o governo só empregou 57,44%. Já com as deduções consideradas para fins de limite constitucional de aplicação mínima em MDE (Manutenção e Desenvolvimento de Ensino), o governo do RN deve aplicar no mínimo de 25% das receitas resultantes de Impostos em MDE, no entanto o governo só empregou 22,78%.

Nos meses de março e abril o governo tinha que empregar no mínimo 60% do FUNDEB na remuneração do magistério com ensino fundamental e médio, no entanto o governo só empregou 57,38%. Já com as deduções consideradas para fins de limite constitucional de aplicação mínima em MDE (Manutenção e Desenvolvimento de Ensino), o governo do RN deve aplicar no mínimo de 25% das receitas resultantes de Impostos em MDE, no entanto o governo só empregou 23,86%.

Para Janeayre Souto, diretora de organização do SINTE, com a redução da LRF para 48,61%, o governo do estado deve ter responsabilidade e negociar com os trabalhadores em educação. O que não podemos aceitar é que a governadora faça caixa com o salario dos servidores.

É pelo visto, o governo da Rosa é um governo Fora da Lei!.

Negociação Já! Antes da Rosa virar cravo.

Fonte:Sinte/RN

Diretoria do Sinte faz pronunciamento à Sociedade

A sociedade potiguar vive um período de grandes irregularidades na Educação. Não pelo movimento grevista, mas pelas más condições em que se iniciou o ano letivo. Faltam professores, funcionários, merenda e até carteiras. Há prédios em condições precárias com instalações hidráulicas e elétricas expostas e alunos (as) correndo sérios riscos pelas infiltrações e pela possibilidade de choques nas paredes.
Os velhos bebedouros também denunciam o risco de contaminação na água consumida pelos estudantes. Há banheiros entupidos; bancos de alvenaria quebrados; cozinha com fogões inutilizados; locais insalubres, sem manutenção de limpeza e higienização. Atreladas a isso, existem as carências pedagógicas e didáticas inerentes à qualidade do ensino: as salas de aula estão super lotadas e faltam elementos básicos para se planejar uma aula.

O Governo não pode ficar alheio a esta situação. Não pode simplesmente dizer que os problemas foram causados por gestões passadas e ignorar as suas consequências. Já se passaram cinco meses desde que a atual administração assumiu o Estado e nem os Diários de Classe foram enviados aos professores. Isso, certamente, não é mais responsabilidade dos antigos governantes. É por essas razões que o Sinte se dirige à sociedade. É por isso que a categoria busca o Governo. Esse é apenas um apelo ao cumprimento de um Direito básico: Educação.

Esse diálogo entre trabalhadores, sociedade e Governo deve começar, já e deve contemplar, também, todas as condições adversas pelas quais os profissionais passam. Para tanto, vale lembrar que os salários da categoria são os mais baixos na estrutura do Governo estadual e esta é maior categoria trabalhista do Estado. É também a que presta o serviço mais importante à população.

A greve dos Trabalhadores em Educação é motivada pela falta de proposta do Governo à categoria, aos alunos e à sociedade. E ela se manterá até que alguma atitude seja tomada pelos governantes. Qualquer que seja o desfeche desta luta, o Sinte e a categoria que representa seguirão em frente firmes e coerentes em nome dos interesses da Educação.

Fonte: Sinte/RN

Regional de Mossoró define novas atividades para a greve

As atividades de greve para os Trabalhadores em Educação da Regional de Mossoró continuam. Desta vez, as mobilizações contemplarão, também, atividades culturais e esportivas. Veja a seguir o calendário e participe.

30/05 (Segunda-feira) – Ato público em Upanema a partir das 9h;

31/05 (Terça-feira) - Visita as escolas de Mossoró pela manhã e à tarde;

01/06 (Quarta-feira) - Plenária com diretores das Escolas na Sede Social do SINTE/RN, às 15h;

02/06 (Quinta-feira) - Plenária com os estudantes na Sede Social do Sinte, às 15h;

03/06 (Sexta-feira) - Tarde cultural e esportiva na Praça dos Desportos - Avenida Rio Branco, às 15h;

04/06 (Sábado) - A greve da educação na poesia popular. Evento será realizado na Praça Felipe Guerra, às 8h;

05/06 (Domingo) - Ato público em Baraúna. Será realizado na Praça do Mercado Central, às 8h;

09/06 (Quinta-feira) - Ato Político no Mossoró Cidade Junina. Acontecerá na Estação das Artes, às 18h;

10/06 (Sexta-feira) - Arraiá da Greve, na Sede Social do Sinte, às 20h.

Fonte:Sinte/RN

Não é Maldade, o nome disso é CIDADANIA



A matéria postada nesse blog sobre a merenda distribuída na creche em um dos seus dias de funcionamento está causando muita polêmica na cidade. Algumas pessoas "bem informadas" da cidade estão querendo distorcer o propósito verdadeiro da postagem, falando e tentando, mais uma vez, maquiar o que foi dito na matéria do blog. Uma das pessoas "bem informadas" da cidade chegou a dizer que a postagem era de "cunho maldoso". Pergunto a vocês, desde quando falar algo que aconteceu é maldade? Que eu saiba é no mínimo comentar um fato verdadeiro, e no máximo papel de todos os cidadãos e cidadãs que fazem parte de um Estado (do latim status,us: modo de estar, situação, condição), segundo o Dicionário Houaiss é datada do século XIII e designa "conjunto das instituições (governo, forças armadas, funcionalismo público etc.) que controlam e administram uma nação";

E pra quem achar que exercer sua cidadania é maldade, aí vai o significado que você pode encontrar completo aqui http://migre.me/4Fql6

O que é Cidadania?

Em direito, cidadania é a condição da pessoa natural que, como membro de um Estado, se acha no gozo dos direitos que lhe permitem participar da vida política. A cidadania é, portanto, o conjunto dos direitos políticos de que goza um indivíduo e que lhe permitem intervir na direção dos negócios públicos do Estado, participando de modo direto ou indireto na formação do governo e na sua administração, seja ao votar (direto), seja ao concorrer a cargo público (indireto).A nacionalidade é presuposto da cidadania - ser nacional de um Estado é condição primordial para o exercício dos direitos políticos. Entretanto, se todo cidadão é nacional de um Estado, nem todo nacional é cidadão - os indivíduos que não estejam investidos de direitos políticos podem ser nacionais de um Estado sem serem cidadãos. Os direitos políticos são regulados no Brasil pela Constituição Federal em seu art. 14, que estabelece como princípio da participação na vida política nacional o sufrágio universal*.

Fonte: http://pt.shvoong.com/humanities/475324-que-%C3%A9-cidadania/#ixzz1NkF8rdfe


Então meus amigos, pergunto a vocês: a matéria postada nesse blog que vocês pode ler aqui http://migre.me/4FpN3 é de cunho maldoso ou estou apenas exercendo um direito meu previsto em Constituição Federal, lei maior que rege esse Estado chamado Brasil?

Será que exercer cidadania DIRETAMENTE é apenas uma ação praticada obrigatoriamente por nós a cada 2 anos nos pleitos políticos? Ou é um ato em que NÓS CIDADÃOS (ÃS) desse estado devemos praticar diariamente?

Como o próprio significado de cidadania exposto acima revela, só não pode gozar dos direitos da cidadania os indivíduos que não estejam investidos dos direitos políticos, esse não é meu caso, pois só se perde os direitos políticos quando se comete um crime e essa cidadã aqui é idônea e paga seus impostos, ou seja, está em dia com o Estado. Vocês podem ler maiores detalhes sobre Perda ou Suspensão de direitos políticos aqui http://migre.me/4FqCs

O que mais me parece aqui, é uma tentativa de querer calar os cidadãos (ãs) de falar (até proibir de acessaram este blog de uma das instituições públicas daqui de Janduís fizeram). Que eu saiba o Regime de Ditadura Militar nesse Estado já se foi há muitos anos e com ele a CENSURA. Somos uma DEMOCRACIA (que significa analisando a palavra DEMO=Povo CRACIA=Governo), ou seja, governo em que o povo participa, é uma das coisas que os professores como eu tentam ensinar nas nossas escolas para os nossos alunos, ser cidadão atuante, que não seja mais um a compor a "massa de manobra" que é manobrada pelos políticos no pleito eleitoral a cada 2 anos, e pelo que vejo claramente é que a maioria da nossa população é manobrada diariamente.

Então minha gente, a matéria é de cunho maldoso? Eu mesma respondo: NÃO. É exercício da cidadania, um direito meu, seu e de todos nós!

A maioria dos políticos adora que a educação não funcione, que o povo fique alienado, mas nós professores(as)/cidadãos(ãs) ainda fazemos nossa parte, mesmo ganhando muito pouco.

Abaixo a ditadura, a maquiagem, a alienação e a censura. EXERÇA SUA CIDADANIA, É UM DIREITO SEU!