O Governo nada faz pela educação do Estado, a resposta à greve é o Silêncio

18/05/2011 Debate

Resposta do governo ao movimento grevista é o silêncio

Desde o início da Greve dos Trabalhadores em Educação do Estado, a governadora Rosalba Ciarlini evita discutir as reivindicações com a categoria. Sua resposta aos pedidos dos trabalhadores é o silêncio. Para a direção do Sinte, essa é apenas uma forma encontrada pela gestora para se eximir da sua responsabilidade.
Segundo a coordenadora geral do Sinte, que milita no movimento sindical desde 1979, a atitude da governadora é mais um entrave à resolução do impasse. “Ela silencia para não responder à população quanto é que o Estado investe nos trabalhadores que realizam o principal serviço a que a população tem direito. Mas esse silêncio não é uma boa estratégia. Ele irrita e instiga cada vez mais o movimento.”, disse

Discurso de Agripino é contrário ao verdadeiro papel do estado

O senador José Agripino afirmou que se o Governo atender às reivindicações do Sinte o Estado irá quebrar. Para quem participou das duras campanhas salariais feitas durante a gestão de Agripino, quando ele era governador do RN, não há espanto.
Para a coordenadora geral do Sinte, Fátima Cardoso, o discurso do parlamentar é coerente com a sua ideologia e com sua concepção de Estado. Segundo a dirigente, José Agripino anda na contramão do real papel Estado, que é prover a população de acesso a direitos sociais.
“É absolutamente compreensível essa atitude do senador, principalmente se levarmos em consideração a sua visão de classe e de relacionamento com os conflitos. Esse discurso é ainda mais compreensível se considerarmos o conteúdo programático dos Democratas.”, disse a dirigente.


O para o Estado tudo? NADA

É isso companheiros e companheiras, essa é a posição dos políticos que aparecem aqui de quatro em quatro anos para pedir nossos votos, Rosalba silencia e Agripino diz que o Estado não pode pagar. O interessante é que se a governadora não se pronuncia diante da grande greve que se alastra cada vez mais em seu território de comando é porque não têm respostas a dar a população que tanto precisa do serviço dos educadores, e é porque a mesma quer jogar toda responsabilidade de Educar nesse Estado nas costas dos educadores e dessa forma jogar a população contra nós. O que quero que vocês entendam que esse comportamento dela não irá nos enfraquecer, só nos fortalecer, e queremos que quando vocês questionarem as atitudes grevistas de nós professores, tentem se colocar em nosso lugar, pois temos uma cargo horária de 25 horas em sala de aula e 5 para atividades extras semanais, ganhamos um salário base baixíssimo, ou seja, piso de R$ 664,00. As 25 horas em sala de aulas semanais cumprimos muito bem, mas vocês acham que 5 horas dá pra planejar, corrigir atividades e estudar para melhorarmos nosso desempenho em sala de aula? Acabamos trabalhando de graça pro Estado toda semana e recebendo no fim do mês um salário vergonhoso e o governo não querer pagar nem o Piso Nacional aprovado por lei? É inadmissível! Pois é amigos por isso a greve continua!!

E me admira o Senador José Agripino dizer que o Estado vai QUEBRAR se pagar aos professores, creio que não, o Estado só não tem dinheiro pra pagar àqueles que realmente trabalha? E o dinheiro investido para Copa de 2014? E os roubos nas licitações das obras do Estado? E o desperdício de recursos mal aplicados? Me admira muito um político que conhece e sabe a real situação dizer que pagar ao trabalhador que dá seu suor e lida direto com a população vai quebrar o Estado. É uma vergonha.

Lembrem-se deles dois, próximo ano estarão aqui pedindo seus votos para os vereadores e prefeitos que disputarão as eleições, e lembre-se uns são o espelho dos outros. Fica a Dica!

E a GREVE continua!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário